Archive | Uncategorized RSS feed for this section

Para quem você daria o último pedacinho?

6 out

“Que dó, que dó da formiguinha…”

No caso a formiguinha sou eu! Nessa dieta totalmente “no limite” e postando reportagem sobre chocolate. Mas a matéria é interessante e vale o post!

 

O último pedacinho vai para...

O último pedacinho vai para…

 

Segundo o site Comunicadores, com o objetivo de reforçar a assinatura “Dare to be tender” (“Atreva-se a ser mais doce”), a marca de chocolates Milka desafiou os consumidores franceses a oferecer a alguém o último quadradinho da barra de chocolates. Como? “Simples”: retirando este pedaço de 10 milhões de barras de chocolate ao leite, na linha de produção e “substituindo-o” por um código na embalagem. Seria uma forma de mostrar seu grande afeto por esta pessoa, já que o último quadradinho tem a fama de ser o pedacinho mais gostoso!

 

E antes que os nervosinhos pensem que isso é um absurdo, que os consumidores foram enganados pelo marketing da Milka: calma! A quantidade de chocolate original, indicada na embalagem, estava toda ali, mas em um formato diferente, que causava essa impressão. 🙂

 

 

E você? Daria pra quem esse pedacinho de felicidade?

 

Como ressuscitar um sapato

6 set
Who run the world? Shoes, SHOES!

Who run the world? Shoes, SHOES!

Que atire a primeira pedra a mulher que não gosta de comprar sapatos. Sim, acredito que todas as mulheres venham com o sentimento genético de centopéia humana, inclusive mais do que roupas, afinal, as mais cheinhas podem não comprar as roupas da moda (ainda mais hoje em dia que o G veste P, mas deixemos isso para outro post), mas sapatos da moda, ahhhh, sapatos da moda cabem nos pezinhos sim!

Eu sou uma. Tenho medo de contar quantos sapatos tenho, pois sei que vou me assustar, mas é praticamente impossível ficar sem comprar unzinho. Se tá calor? Sandália. Se tá frio? Bota. Se tem festa? Outro salto, pq tem um pontinho diferente que vai fazer toooodo o tchan da roupa! E mais: eu tenho 1.77m e não curto saltos giga (Deus sabe o que faz. Se já tenho muitos sapatos hoje, imagine se fosse mais baixa?). Por isso, quando encontro um salto médio, bacana, que é difícil de encontrar por aí, dá vontade de comprar um de cada cor. Sim, já fiz isso algumas vezes…

E os xodós? Aqueles que já estão capengas, implorando para irem pro lixo, mas você não tem coragem de dar? Seria tão bom uma varinha mágica para dar uma nova vida, né? Bom, a tal varinha eu ainda não descobri onde vende, mas um milagrinho para os moribundos de verniz eu encontrei!

Se liga nesse vídeo abaixo que encontrei outro dia. Com cola, lixa, durex e glitter (ou purpurina, amigas dos anos 80), você consegue dar uma carinha nova e super boa pro seu sapato! Mas já aviso: vai ter que ter paciência, é, de um dia pro outro, porque ele tem que secar.

eca...

eca…

ohhh!!

ohhh!!

(créditos das fotos e do vídeo: blog da Monalisa Caetano)

Beatriz Milhazes – conhece?

6 set

 

Metrô em Londres

 

Pincoteca de São Paulo

 

Beatriz Milhazes

Beatriz Milhazes

 

 

E aí, já tinha ouvido falar de Beatriz Milhazes?

 

Eu não, e fiquei bem curiosa em descobri-la após saber sobre sua exposição no Rio de Janeiro, mas falarei mais a respeito a seguir. Antes, quero dividir com vocês um pouco sobre a Bia, rs!

 

Beatriz é um dos poucos artistas brasileiros que “estourou a bolha” e entrou no mercado internacional da arte. Nascida em 1960, esta carioca estudou Comunicação Social e, depois, ingressou na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Pintora, gravadora, ilustradora e professora, suas obras se destacam no mercado internacional principalmente pela utilização de cores e formas geométricas em suas obras.

 

O Mágico

O Mágico

 

A pintura “O Mágico” , de 2001, foi vendida a um colecionador espanhol por US$ 15.000,00. Em 2008, foi leiloado na famosa Sotheby, em Nova York. Sua oferta original foi de US$ 350.000,00 e, felizmente, foi vendido por US$ 1,049,000.00, o que significa um aumento de 6.000% em sete anos. Este foi o lance mais alto já conquistado por um artista brasileiro vivo (até hoje, só o Abaporu, de Tarsila do Amaral, chegou a esse patamar).

 

Alguns de seus grandes projetos de arte têm sido exibidos em célebres lugares do globo, como: Tate Liverpool, MoMa – Museu de Arte Moderna de Nova York, Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, em Madrid, e no Paço Imperial, no RJ, onde sua exposição ficará presente até o dia 27 de Outubro.

 

Considerada uma das exposições mais aguardadas em nossa cidade, tendo em vista que a última foi há 11 anos atrás, Beatriz ocupa o espaço com uma mostra panorâmica de sua obra vibrante, com cerca de 60 pinturas, colagens e gravuras. Produzidos desde o final dos anos 1980, os trabalhos são provenientes de diversas coleções públicas e particulares, do Brasil e do exterior.

 

Ah… e é de graça! 🙂

 

Se interessou? Então, “vambora”! O Paço Imperial fica na Praça XV de Novembro, 48 – Centro – RJ.

O Sofrimento

28 jan

lagrimas1

 

Redundante serei se falar sobre o caso.

 

 

Insensível serei se deixá-lo de lado.

 

Na verdade, não foi exatamente a tragédia que aconteceu em Santa Maria que me motivou a escrever sobre sofrimento, mas sim algumas outras situações e provações que andam ocorrendo ao meu redor.

 

Enquanto muitos pensam em culpados pelo sofrimentos, outros querem compará-lo com a dor de outras pessoas. E seria justo comparar uma dor, uma tristeza, qualquer coisa que o coloque para baixo com as razões para outras pessoas estarem ou serem tristes? Uma coisa é você pensar na tragédia dos outros como uma forma de tentar aliviar ou pensar que seu problema não é tão grande. Outro é alguém vir até você, apontar para o que lhe aflige e dizer que seu problema não é nada comparado ao problema de outras pessoas – “nossa, foi muito pior.

 

Sim, pior do que ter alguém em recuperação em casa é ter alguém internado. Sim, pior é ter uma doença incurável. É pior a perda de alguém querido. Muito pior a fome, pobreza, injustiça e tantas coisas mais que acontecem todos os dias ao redor do mundo. E isso faz da sua dor menos importante? Você não pode ficar triste, é proibido, visto que têm coisas piores no mundo?

 

Cada dia que passa eu fico mais pasma com a insensibilidade das pessoas. E a justificativa é que você, pobre triste, é sensível demais. É, as pessoas não são grossas, as outras é que são sensíveis demais!

 

Fraternidade, compaixão, amizade, entre tantas outras palavras ou maneiras bonitas de se estender a mão amiga a quem precisa… para que ferir com “possíveis verdades sem cabimento”?

 

Termino com a expressão do grandioso São Francisco de Assis: “… é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna”.

 

Sejam bons com seus próximos! E muita luz à todos que sofrem neste momento com esta terrível tragédia em nosso país.

Interlaken – Suíça

10 jan
Interlaken 2012

Interlaken 2012

Quando nos planejamos para conhecer Interlaken, na Suíça, nós não imaginávamos que fosse um lugar tão bonito. Mentira, imaginávamos sim, senão não iríamos nos despencar até lá. O que quero realmente dizer é que estando lá é outra coisa. O visual arrebenta mesmo! Pode ver pela foto acima, tirada pelo meu maridinho, que não é fotógrafo profissional e nossa máquina idem. O lugar tem que ser muito belo pra sair assim nestas condições, concordam?

Eu resolvi escrever este post para falar sobre algumas coisas que só descobri na cidade. Eu não vou tentar falar sobre a história da cidade nem muitos detalhes sobre hotéis, restaurantes e afins porque não sou guia turística e sites específicos como o do Ricardo Freire são beeeem melhores neste quesito.

O fato é o seguinte: o interesse surgiu depois que um casal de amigos voltou de viagem e só falava de Interlaken. Tipo um mês era só esse o assunto! Daí que fizemos o roteiro das nossas férias e dentro das condições de temperatura e pressão (também conhecidas como milhas aéreas) decidimos colocá-la em nossa viagem de trem. Mas quando procuramos informações sobre esta cidade, não encontramos uma variedade, apenas mais do mesmo. E é aí que entra a história dos souvenires. Nunca diga à uma mulher que ela tem imãs demais na geladeira, ou que não aguenta mais entrar numa lojinha de quinquilharias, ok? Porque foi exatamente assim que conhecemos fulana (que falta de respeito, esqueci o nome da indivídua), uma vendedora brasileira que mora há 3 anos na cidade. E que nos deu simplesmente dicas perfeitas, que nos ajudaram (e deram um pouco de raiva) nestes 4 dias que ficamos por lá. Bora nessa?

1) Interlaken é divida em Interlaken West e Interlaken Ost. Nós estávamos na parte Ost, perto de um pasto cheio de vaquinhas, bem ao lado da rua principal – inclusive acredito que a vaca Milka seja de lá. Enfim, você logo vai ver um hotel super luxuoso (Grand Hotel Victoria-Jungfrau) e, atrás dele, um prédio horroroso que não tem nada a ver com a cidade nem com as demais construções de lá. Pois o prédio horrendo, que se chama Hotel Metropole, possui uma das melhores vistas da cidade! De quebra, você pode tomar um delicioso chocolate quente ou uma cerveja bem gostosa, a preços super justos!

Vista do hotel

Vista do hotel

2) Se o que você busca é agito, esqueça o mês de novembro no calendário “interlakiano”!!! Simplesmente as pessoas somem nesta época, pouquissimas pessoas na rua (a maioria são os turistas chineses), não há muita variedade para se fazer a não ser comer batata souté, fondue de queijo e o McDonald’s que existe em todo lugar que se preze! De verdade: na última semana de novembro – justamente a posterior que saímos – é que abriu a estação de esqui.

Top of Europe

Top of Europe

Brrrr....

Brrrr….

3) Conhecer Jungfrau – Top of Europe: este sim é um ponto turístico obrigatório e que, pelo que entendi, dá pra fazer em qualquer época do ano – afinal, nós conseguimos ir! A questão: é caro pra dedéu! Para se estar no ponto mais alto da Europa vc deverá desembolsar em torno de R$ 300,00 cada um!!!!!! Aí vcoê me pergunta: e isso é dica boa aonde? Pois é. A maioria sabe que eu sou carioca, né? É… ai ai… (respirando fundo pra não dar um chute na minha bunda). A companhia de trem que administra Jungfrau é a mesma que administra o Cristo Redentor. Retificando: são monumentos irmãos, segundo o meu marido, e existem outros pontos turísticos com o mesmo esquema. Ou seja: se você levar o ticket do Cristo pra lá, você ganha 50% de desconto! É!!!! Claro que não sabíamos, claro que não levamos e… claro que esquecemos o mesmo ticket que nos garantiria 50% de desconto no Corcovado no quarto do hotel!

Para saber mais sobre este passeio, entre neste link aqui.

DSCN1317DSCN1333DSCN1308DSCN1291DSCN1281

Agora, se eu puder te dar uma dica, faça a sua trilha! Saia andando e explorando! Você irá descobrir cada vista fantástica!

E lembre-se: suíços são finos. Eles nunca lhe mandarão cagar no mato.

E sim mandarão tomar banho no mato!!

E sim mandarão tomar banho no mato!!

Caindo a ficha número 2013!

2 jan

 

Feliz Ano Novo!

 

2013

2013

 

Chegou 2013, mas a ficha ainda não caiu, rs! É estranho pensar que já mudamos o ano, mas é muito boa a sensação de colocar novas metas na vida, de desejar ser melhor, de estar motivada a mudar… É engraçado pensarmos assim apenas quando o ano vira, o “novo ciclo” começa, quando podemos retomar a qualquer momento de nossas vidas.

Não quero fazer de 2013 uma “segunda-feira vou começar a dieta”. Quero realmente fazer acontecer e realizar sonhos que ainda não atingi. E por mais que 2012 tenha me deixado algumas mágoas, marcantes e profundas, é importante lembrar das coisas bacanas que fiz:

 

– Novos amigos: adoro fazer novas amizades e no ano passado pude conhecer novas pessoas e aumentar as que já tinha. Isso aconteceu especialmente no sapateado, hobby que amo e que estou entrando no terceiro ano. Que grupo bom!;

– Falando em sapateado, este é um hobby que sempre sonhei fazer e, agora que estou “dentro”, só penso em deixar (ou melhor, parar momentaneamente) quando engravidar. Me encontrei e meu desejo é em cada ano dançar mais uma coreografia;

– Viajei bastante! Revi meus amigos do Sul, visitei meus parentes em Minas, conheci novos lugares nas férias… como é bom viajar!;

– Ganhei uma filha! Um sonho guardadinho na gaveta que cheguei a pensar que nunca se realizaria! Estou apaixonada e ter um bichinho de estimação renova a alegria da casa!;

– Ganhei mais um afilhado! Na minha vida, já tive experiências bem tristes em relação a amizade, mas receber este presente de uma amiga tão querida é perceber que nem sempre a culpa é sua e que algo de bom neste planeta eu fiz para receber um carinho tão grande!

 

Vida que segue, energia renovada e agora é a hora de pensar para qual lado seguir. Apesar de estar um pouco confusa mentalmente em relação a minha profissão, essa é a hora que preciso estar focada e definir as metas a serem alcançadas. Com uma família abençoada e amigos tão queridos me apoiando, tenho certeza que esta nuvem irá desaparecer logo logo da minha mente.

 

Vem com tudo, 2013! Entre na minha vida e seja um ano positivamente inesquecível!

Keep Calm e…

19 ago

%d blogueiros gostam disto: